Summer Collections se mostra crucial para a moda da capital

Segunda edição de evento voltado ao beachwear produzido na capital federal reascende a esperança nas marcas do

segmento

 

 

Depois de movimentar a 27ª edição da CasaCor Brasília, no ano passado, o Summer Collections voltou à cena fashion da capital federal para fomentar a moda praia produzida aqui. Desta vez, nove marcas locais apresentaram suas novidades no Espaço Cultural Renato Russo, em uma noite recheada de desfiles e anúncios que prometem agitar o mercado brasiliense em 2020.

Vem conferir o rolou comigo!

 

Entre os segmentos que têm destaque na indústria têxtil brasiliense, a moda praia, surpreendentemente, é uma das mais expressivas da capital federal. Segundo informações do Sindicato das Indústrias do Vestuário do Distrito Federal (Sindiveste-DF), a cidade tem 80 empresas de beachwear, com 380 empregos formais e indiretos.

 

No entanto, este cenário já foi bem mais favorável. Entre os anos de 2000 e 2007, as exportações de biquínis e maiôs produzidos por aqui renderam cerca de US$ 4 milhões aos nossos empresários.

 

 

Na década passada, a moda praia rendeu US$ 4 milhões ao empresários do DF

 


Idealizado pelo jornalista e produtor de moda Fernando Lackman, o Summer Collections planeja colocar a moda praia brasiliense de volta neste contexto de sucesso.

 

Lançado no ano passado, durante a 27ª edição da Casacor Brasília, o projeto surgiu como uma necessária vitrine para os lojistas que investem no setor, como enfatizou o empresário Rodolfo Rodrigues, da marca Sew Up, após seu desfile na iniciativa.

 

“Criei a marca em 2008, mas ela nunca teve um apelo comercial forte. Era um hobby. Em 2017, decidi fazer disso meu emprego, então estar em um evento desse, conseguindo projetar a marca de um jeito que eu não conseguiria sozinho, é extremamente importante. Estou impressionado com os feedbacks. Não sabia que um desfile impactaria tanto. Eu já estou com várias encomendas. As peças de lurex esgotaram assim que deixei a passarela”, conta.

 

Rodolfo Rodrigues, da Sew Up

 

Designer privilegiou estampas multicoloridas

 

Inspiração da coleção foi a África

 

Tendência do próximo verão brasileiro, o tie-dye apareceu em peças pontuais

 

Peças metalizadas foram pensadas para as festas de final de ano


De início, a segunda edição do projeto seria para poucas marcas, mas, após a repercussão da estreia, muitos empresários manifestaram seu desejo de fazer parte do evento.

 

“Quando decidi fazer Summer Collections este ano, pensei em fazer algo para cerca de seis marcas, mas daí começou a ‘chover gente’ querendo participar. Hoje, eu tenho 25 marcas de beachwear interessadas e eu quero dar a oportunidade para estas etiquetas mostrarem o trabalho delas na passarela. Em 2020, serão dois dias de evento”, adianta Fernando Lackman, idealizador do projeto.

 

Para ele, os desfiles de moda ainda são muito importantes para a indústria têxtil, ainda que muitos defendam que o formato está com os dias contados. “Apesar das pessoas dizerem que está caindo em desuso, não vejo assim. Por que as grandes grifes não pararam ainda, já que não é mais interessante?”, questiona o produtor.

 

Fernando Lackman, idealizador do Summer Collections

 


A ideia de um desfile de moda praia em uma noite chuvosa não conquistou Fernando de cara, mas o hall do Espaço Renato Russo lotado de convidados provou que o brasiliense realmente está interessado no segmento local.

 

“Por conta da chuva, eu não estava acreditando em público, porque brasiliense se desanima ao cair da primeira gota, mas me surpreendi, pois ultrapassamos o limite de convidados. Fizemos para 300 pessoas e tivemos quase 400. É um excelente público para um evento pequeno que está começando”, relata.

 

Segunda edição do evento foi no Espaço Cultural Renato Russo


Segundo ele, a moda praia feita aqui tem muita qualidade, o que deve ter surpreendido a maioria dos fashionistas que compareceram à noite de desfiles. “Se você analisar as coleções apresentadas, elas são muito interessantes, porque todas têm modelagens próprias. Apesar de não termos mar, temos o lago e vários clubes. Nada melhor do que colocar o que é produzido aqui nestes lugares”, acredita.

 

Para 2020, os planos são mais imponentes. “Vamos começar um processo de profissionalização, aprofundamento e conhecimento. Quero propor que viajemos para eventos de moda praia fora, para analisar como é o comportamento do consumidor e do criador. Sabemos como fazer o mercado funcionar, porque, há 10 anos, tivemos o Flor Brasil, que movimentou milhões em exportação. Porém, queremos entender as mudanças do segmento. A meta é voltarmos a exportar até o ano que vem”, conclui.

 

Organizador quer profissionalizar o segmento de beachwear brasiliense

 


Há 27 anos no mercado, a empresária Maria do Socorro Vale pertence ao grupo de lojistas que um dia exportou a moda praia brasiliense para o mundo. Ela acredita que vender para fora atualmente não é tão importante, por conta das possibilidades que os e-commerces e redes sociais trouxeram, mas isso não torna o Summer Collections menos importante.

 

“É algo fundamental para conscientizar e mostrar ao consumidor brasiliense que aqui tem muita gente trabalhando com qualidade. Gosto de estar rodeada de jovens, porque por meio deles que eu me mantenho atualizada. Eu aprendi muito na noite de hoje”, garante.

 

Socorro Vale está no mercado há 27 anos

 

 

 

 

Para sua participação no evento, estilista apostou em conchas e búzios

 

Ela criou peças voltadas ao segmento plus size

 

Aberturas laterias marcaram os maiôs

 

Animal print metalizada deu ousadia às produções

 

Socorro fechou o desfile com criação voltada às noivas

 


Camila Sampaio, da Arara Store, está há menos tempo no mercado. Ela lançou sua etiqueta em 2014, em plena “era do Instagram”. Por lá, a visibilidade só depende do empresário, mas um evento como o Summer Collections possibilita a ela uma maior proximidade com o público local.

 

“Foi super válido, porque ainda falta espaço para a moda praia daqui. Tudo evoluiu muito desde quando começamos. Estamos fortalecidos, amparados e todo mundo está unido, mas ainda tem uma certa resistência do brasiliense. As pessoas daqui precisam valorizar mais o que é produzido na cidade”, diz Camila.

 

Coleção da Arara Store trabalhou com tons terrosos e arenosos

 

Estampas tropicais também estiveram presentes no trabalho

Shorts flertaram com modelagens esportivas

 

 Saia de renda fechou a apresentação

 


A Aventto Lifewear, dos irmãos Moreira, já coleciona cases de sucesso na capital federal. Com lojas na maioria dos shoppings da cidade, a etiqueta de acessórios agora se prepara para expansão nacional, a começar no ano que vem. A empresa pode não precisar do evento para se tronar conhecida, mas o mesmo acabou se tornando uma ótima oportunidade de lançar sua nova coleção, inspirada no zodíaco.

 

“Estávamos em casa brincando e chegamos à conclusão de que todo mundo se identifica com o horóscopo. Você pode não acreditar, mas, de certa forma, acaba falando um pouco sobre cada um de nós. Daí, como ainda não tinha uma coleção de óculos voltada a este tema, decidimos criar uma. Dividimos em masculino e feminino, pegamos a descrição de cada signo e destrinchamos isso nos óculos. Decidimos lançar aqui porque é um evento de Brasília que propõe fortalecer as marcas daqui”, explica Hugo Moreira.

 

 

Aventto lançou coleção inspirada nos signos no Summer Collections

 


De acordo com Walquiria Aires, presidente do Sindiveste, a segunda edição do Summer Collections cumpriu seu objetivo. “Entendemos que as etiquetas locais precisam de visibilidade. Elas começaram a conquistar as multimarcas e clientes. Para um evento em pleno mês de dezembro, saio daqui muito satisfeita. Foi um projeto simples que não ficou devendo nada. Nossa meta foi alcançada”, afirmou a presidente da associação após as apresentações.

 

 

Walquiria Aires, presidente do Sindiveste

 

 

Confira outros destaques do Summer Collections 2019:

 

Romildo Nascimento e Sandra Lima


Antes de introduzir os desfiles do segmento de beachwear, Fernando Lackman anunciou duas novidades para a moda brasiliense em 2020: um concurso de novos talentos e um salão de negócio voltado ao mercado masculino. Na próxima semana, destrincharemos melhor esses projetos na coluna, mas, com as apresentações vistas no evento, foi passada uma noção do que virá por aí.

 

Enquanto Sandra Lima, estilista lançada pelo concurso de novos talentos do Capital Fashion Week, apresentou um compilado das coleções mostradas na extinta semana de moda, Romildo apresentou o resultado de uma ação feita em parceria com seus clientes. “Juntei estas roupas com algumas que já tinha e montei uma coleção para a ocasião. A maioria das peças já estão até vendidas”, esclareceu o designer.

 

Romildo Nascimento apostou nas texturas

 

Suas técnicas de tressê e matelassê são marcas registradas de seu trabalho

 

 

De olho no street style internacional, ele investiu no verde menta
 

 

Macacão utilitário concluiu o show

 

Sandra Lima levou compilado de peças desfiladas no CFW

 

Estilista é conhecida por suas modelagens tridimensionais

 

 

Ela gosta de usar macacões estampados como base para suas roupas-arte

 

Manto feito a partir de modelagem intuitiva

 

 

Estilo Pool


A marca de Pedro Toledo apostou nos conjuntos de alfaiataria que invadiu a moda praia na última temporada. Apoiada em estampas divertidas, bordões e emojis, a etiqueta criou uma coleção multicolorida.

 

 

Estilo Pool privilegiou os conjuntos que invadiram a moda praia

 

 

Etiqueta brincou com memes das redes sociais
 

Emojis foram trabalhados com padrões geométricos

 

 

Emoji de berinjela causou frisson na passarela
 

 

Fabrika
Flertando com shapes esportivos, a Fabrika valorizou suas saídas e quimonos no show do Summer Collections. Franjas se uniram a shorts de ciclistas, babados e às cores vibrantes que compuseram a cartela de cores.

 

Primeiro look da Fabrika, marcado por franjas

 

Marca abusou dos shapes esportivos

 

Saídas foram destaques na apresentação

 

Empresa usou várias cores vibrantes e estampas

 

Soul Mate
A etiqueta da empresária Jade Palma misturou a tradicional malha do segmento de moda praia ao crochê. Tons de pele, estampas geométricas, babados, hot pants e referências hippie construíram o conceito Paz e Amor da coleção.

 

Soul Mate optou pelo uso do crochê

 

Estampas retrataram o conceito Paz e Amor da coleção

 

Label misturou malha e artesanato

 

 

Tom nude neste modelo assimétrico

 

Sun Rosè
Cecilia Albina investiu pesado no brilho e nas texturas, vistas nos acabamentos trançados e transparências. Tendências como as mangas bufantes e biquínis com decotes estruturados em V também foram exploradas no compilado.

 

Sun Rosè apostou nos decotes estruturados em V, a tendência do momento no beachwear

 

Nó frontal agregou design diferenciado

 

Babados e tiras transpassadas nortearam a coleção

 

Transparência foi outro recurso utilizado

 

Colaborou Danillo Costa

 

Share on Facebook
Share on Twitter
Please reload

  • Facebook Basic Square
  • Twitter Basic Square
  • Google+ Basic Square
  • Ícone Instagram
Instagram
  • Branco Facebook Ícone
Facebook

SINDICATO DAS INDÚSTRIAS DO VESTUÁRIO DO DF 

(61) 3234-0414

SIA trecho 04, lote 1130

Edifício SENAP I (Cobertura)

Guará - Brasília /DF     Cep: 71200040 

© 2018 SINDIVESTE - SINDICATO DAS INDÚSTRIAS DO VESTUÁRIO DO DF