Khaloom recicla lixo têxtil em tecidos de alta qualidade feitos por artesões na India

 

De todas as roupas produzidas no mundo, 40% são jogadas fora. O lixo têxtil ocupa quase 5% de todo o espaço no aterro. Mas desta forma, o desperdício de têxteis é literalmente desperdiçado. As empresas sociais Enviu (India) e Sympany (Holanda), viram uma oportunidade de negócio com a reciclagem em grande escala de resíduos têxteis em tecidos de vestuário através de artesanato. E em 2015 nasceu o conceito Khaloom.

 

 

 

Tecidos de alta qualidade e sustentáveis feitos de tecidos reciclados

 

A Khaloom é uma empresa têxtil circular com sede em Bangalore que oferece tecidos de alta qualidade 100% reciclados feitos pela tradicional tecelagem manual indiana de ‘Khadi’. Esta empresa social oferece uma solução para o grande volume de resíduos têxteis e as condições de vida estressantes dos trabalhadores de teares manuais na Índia.

 

Índia: segunda maior fabricante têxtil do mundo

 

A Índia é o segundo maior fabricante têxtil do mundo e essa indústria é um dos pilares da economia indiana. O tear manual desempenha um grande papel na indústria e é um orgulho nacional. Nesta indústria existem cerca de 4,3 milhões de trabalhadores manuais. No entanto, a mecanização da economia cobrou seu preço, já que restam apenas 2,38 milhões de teares manuais. Dos 4,3 milhões de trabalhadores, 57% dos tecelões indianos vivem abaixo da linha da pobreza e 80% estão endividados.

 

 

 

O Khaloom não só evita o desperdício de têxteis, como também cria emprego para os artesãos locais. A empresa coleta lixo têxtil não reutilizável e o envia para a empresa UPSET Textiles, que o transforma quimicamente em nova fibra. Esta fibra reciclada é então enviada par a Índia para ser manuseada por artesãos locais em novos fios que podem ser tecidos à mão em tecido. A cada um milhão de metros de tecidos 100% reciclados da Khaloom, cerca de 150.000 kg de resíduos têxteis não vão parar em aterros sanitários.

 

Isso é uma economia de 1,504 milhões de litros de água, que é quase o dobro da quantidade que Nigéria, Etiópia e Egito bebem juntos num dia. Existe um imenso potencial para escalar globalmente o Khaloom. A África Oriental e a Ásia têm uma tradição de tecelagem de tear manual enraizada em suas culturas. E eles também fornecem acesso a grandes quantidades de resíduos têxteis pois a indústria têxtil está crescendo. Khaloom pretende produzir 5 milhões de metros de tecidos por ano até 2025, aliando a alta tecnologia de reciclagem com o trabalho de artesãos.

 

 

 

Como o Khaloom e o UPSET Textiles estão mudando o jogo?

 

A indústria têxtil é uma das cinco indústrias mais poluidoras. Em todo o mundo, 40% das roupas produzidas são jogadas fora e apenas 1% desses têxteis está sendo reciclado. É por isso que a Khaloom usa resíduos de pós-produção como o principal recurso para tecer novos tecidos de alta qualidade. A tecelagem manual custa zero de energia pois utiliza apenas mão de obra humana. Além disso, a indústria têxtil mundial emprega 60 milhões de pessoas.

 

Na Índia, 51% dos tecelões recebem menos da metade do salário mínimo. Khaloom oferece aos seus tecelões um contrato permanente e 2-3 vezes o salário mínimo, estabelecendo uma nova norma. O ofício da tecelagem também é preservado, uma habilidade passada de geração em geração. Os tecelões estão orgulhosos do trabalho que fazem! Enquanto a Khaloom está provando um modo de produção alternativo, a UPSET Textiles está fornecendo a tecnologia para criar 100% de fios reciclados a partir de 100% de resíduos têxteis.

 

A Enviu está atualmente construindo a UPSET Textiles juntamente com Pals Brust e Michel Walstock, ex-gerentes da C & A e da BCC. A UPSET está focada em tecnologias inovadoras de reciclagem de têxteis em grande escala na Índia para atender ao mercado e mudar a configuração da indústria de vestuário!

 

Transformando a indústria têxtil

 

A Khaloom e a UPSET Textiles fazem parte da inovadora estratégia comercial da Enviu , a Reweave, com a finalidade de construir uma cadeia têxtil circular revivendo a indústria indiana de teares manuais. A ambição da empresa é construir, até 2030, uma nova cadeia de valor para o vestuário que tenha sustentabilidade ecológica e social em seu DNA. Essas empresas que estão mudando o mundo estão estabelecendo novas normas e abrindo a indústria para mudanças radicais!

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Share on Facebook
Share on Twitter
Please reload

  • Facebook Basic Square
  • Twitter Basic Square
  • Google+ Basic Square
  • Ícone Instagram
Instagram
  • Branco Facebook Ícone
Facebook

SINDICATO DAS INDÚSTRIAS DO VESTUÁRIO DO DF 

(61) 3234-0414

SIA trecho 04, lote 1130

Edifício SENAP I (Cobertura)

Guará - Brasília /DF     Cep: 71200040 

© 2018 SINDIVESTE - SINDICATO DAS INDÚSTRIAS DO VESTUÁRIO DO DF