Analista explica como a moda influenciou a vitória de Trump em 2016

A terceira edição do Voices, conferência que debate os atuais desafios da indústria têxtil, teve o canadense Christopher Wylie em um de seus painéis. Durante o talk-show, o analista que expôs o uso indevido de dados do Facebook nas eleições presidenciais americanas, em 2016, falou sobre como a moda auxiliou a campanha do presidente Donald Trump.

 

Wylie foi um dos fundadores da Cambridge Analytica, empresa de análise de dados que utilizou informações de milhares de usuários do Facebook para influenciar votos. Após a corrida presidencial, o canadense deixou a companhia e resolveu ir a público denunciar a má conduta da corporação. Muitos ainda não sabiam que a moda foi um fator determinante para o direcionamento das mensagens pró-Trump.

 

De acordo com o analista, a Cambridge criou um algoritmo baseado na interação dos consumidores com suas marcas favoritas. “Música e moda são as ferramentas mais informativas para prever a personalidade e inclinação política de alguém. A preferência de um usuário por uma etiqueta, por exemplo, dá uma indicação muito clara sobre seu posicionamento partidário”, argumentou durante o evento realizado no fim de novembro.

 

                                      Christopher foi convidado a participar de um dos painéis da conferência Voices

 

                                      Analista falou sobre como a moda influenciou a eleição do presidente Donald Trump

 

                                      Segundo ele, marcas mais tradicionais tendem aos ideais do Partido Republicano

 

De acordo com os relatórios da empresa de análise, clientes de labels mais tradicionais, como Wrangler, Hollister e Lee Jeans, são mais propensos aos ideais do Partido Republicano. Enquanto os consumidores de marcas mais criativas, a exemplo da Kenzo e Alexander McQueen, tendem ao Partido Democrata. A companhia usou o perfil do público-alvo de cada etiqueta para, a partir disso, escolher as pessoas que receberiam as mensagens pró-Trump.

 

Para ele, a ligação entre moda e psicologia não é novidade, mas essa foi a primeira vez em que o segmento têxtil foi explorado para fins políticos. “Nós usamos as narrativas culturais da moda, mas, em primeiro lugar, foi a indústria fashion a criadora dessas narrativas. As marcas precisam trabalhar a diversidade em suas entranhas para não se tornarem alvos”, afirmou.

 

                                      Canadense denunciou uso de dados do Facebook para fins políticos

 

                                       A Cambridge Analytica criou algoritmo baseado na interação dos consumidores com

                                                                                              suas marcas favoritas

 

                                       Ele defendeu que as marcas devem trabalhar a diversidade em suas entranhas

 

Colaborou Danillo Costa

Fotos: GETTY IMAGES

Share on Facebook
Share on Twitter
Please reload

  • Facebook Basic Square
  • Twitter Basic Square
  • Google+ Basic Square
  • Ícone Instagram
Instagram
  • Branco Facebook Ícone
Facebook

SINDICATO DAS INDÚSTRIAS DO VESTUÁRIO DO DF 

(61) 3234-0414

SIA trecho 04, lote 1130

Edifício SENAP I (Cobertura)

Guará - Brasília /DF     Cep: 71200040 

© 2018 SINDIVESTE - SINDICATO DAS INDÚSTRIAS DO VESTUÁRIO DO DF