Victor Galeno apresentará misto de alfaiataria com street style no desfile do Destaque Moda

Finalizando a série de matérias com os vencedores da primeira edição do prêmio Destaque Moda, do Senac-DF, o Finíssimo apresenta o estilista Victor Galeno, criador da melhor coleção masculina inscrita no concurso, de acordo com seu júri. O brasiliense, que é formado em Design de Moda pelo Iesb e pós-graduado em Design pelo Senai-RJ, levará à rampa do Museu Nacional dez looks que reinterpretam a arquitetura de Brasília em uma mescla de alafaiataria e street wear.

 

De acordo com Victor, a coleção “Highest place” tem como referências as formas rígidas, geométricas e sinuosas da capital. “Me chamou a atenção a leveza dos traços dos monumentos e a combinação de formas simples, que, apesar disso, resultam em construções grandiosas. É como se cada parte que compõe esses monumentos fosse encaixada uma a uma, dando-nos a sensação de que seria instigante, fascinante e desafiador escalar cada etapa desses marcos arquitetônicos. As obras parecem ter sido projetadas para que, no topo delas, possamos quase tocar o céu, marca registrada da cidade que não tem mar”, explica.

 

A cartela de cores foi escolhida tendo Brasília e sua identidade clean como horizonte. “Escolhi cores que melhor representam Brasília em relação aos seus monumentos. O branco e cinza retratam as cores das construções, a cor preta representa as sombras desses monumentos e o azul simboliza a imensidão do céu. Os tecidos, como a tricoline e a sarja, que guiam a coleção, foram escolhidos porque são materiais característicos da alfaiataria. Já a silhueta oversize das peças foram inspiradas na modelagem do streetwear”, adianta.

 

 

 

 

 

Com apenas 23 anos, o também stylist já desenvolveu produtos para a Animale e fez trabalhos de produção de moda para Patrícia Bonaldi, FFW e diversas revistas nacionais e internacionais. “Desde que voltei para Brasília, no início desse ano, comecei a lecionar com base nas minhas experiências com styling de moda”, afirma Victor, que conversou com o Finíssimo sobre seu trabalho e sua relação com a moda:

 

Como a moda surgiu na sua vida? Quando você decidiu trabalhar nesse segmento?

 

Sempre tive uma relação muito forte com a moda, até mesmo quando ainda nem entendia o que realmente é moda. Lembro que ainda muito novo eu gostava de ir para a escola usando coisas diferentes. Meus trabalhos de escola sempre eram muito detalhados e sempre me importei em colocar a criatividade em tudo que eu fosse fazer. Na época das gincanas, eu sempre tomava a frente nos desfiles, desenhava os looks, pensava na cenografia, na estética e tudo que fosse fazer parte daquele momento. Eu sempre amei criar. Muitas vezes virava noites acordado desenhando peças para um desfile imaginário, desenvolvia coleções e mais coleções. Eu nunca me imaginei fazendo algo que não fosse relacionado com moda. Ao longo do tempo, eu fui unindo, naturalmente, a minha paixão por roupas com a minha essência criativa. Acredito que a partir disso eu entendi que a moda era o meu caminho.

 

Como você define suas criações? O que elas trazem de diferente?

 

O foco para a criação das minhas peças é a mistura da alfaiataria com o street wear. Sou fascinado pela estrutura impecável das construções de alfaiataria, seus os detalhes e acabamentos; mas também sou influenciado pela essência despojada e de muita identidade do street wear. Acredito que o diferencial das minhas peças é o encontro ideal entre esses dois estilos, onde eu consigo unir modelagem e tecidos. Busco o acabamento perfeito oferecido na alfaiataria e o conforto que o street wear proporciona. O meu objetivo não é somente criar peças, mas identidade.

 

 

Você já se reuniu com a equipe do Senac, certo? Quais suas impressões a respeito desse encontro?

 

A instituição está completamente disposta a nos proporcionar esse primeiro passo em nossas carreiras e está completamente preparada para isso, com toda a sua estrutura e seu currículo em formação profissional. Estou muito entusiasmado para os próximos passos. Estamos passando pela fase de colocar a mão na massa, o momento de confeccionar as peças. Estamos participando do processo de modelagem e costura, que me fascina. Não vejo a hora de ver a fila do desfile com tudo finalizado.

 

Qual a importância de uma iniciativa como essa para você e para a moda de Brasília?

 

É muito importante perceber que existem instituições tão grandes como o Senac se preocupando com a carreira dos profissionais de moda. Brasília não é um mercado tão fácil, mas ainda temos muito espaço para conquistar. Iniciativas como esta engradecem e dão força, mostrando que existem profissionais capacitados para ingressar no mercado.

 

 

Share on Facebook
Share on Twitter
Please reload

  • Facebook Basic Square
  • Twitter Basic Square
  • Google+ Basic Square
  • Ícone Instagram
Instagram
  • Branco Facebook Ícone
Facebook

© 2018 SINDIVESTE - SINDICATO DAS INDÚSTRIAS DO VESTUÁRIO DO DF