top of page
Buscar
  • sindivestedesign

Moda Circular: 6 Inovações Do Setor De Vestuários Para O Futuro

Uma dessas maiores inovações do setor de vestuários é a moda circular, que representa uma nova maneira de pensar, criar e consumir moda. Exploremos esse novo horizonte da moda, mergulhando nas cinco tendências que as empresas vão adotar para o futuro.

1. Zero Waste

“Resíduos Zero” é um conceito que busca eliminar totalmente o desperdício na produção de moda. Trata-se de um desafio considerável para uma indústria que, historicamente, tem operado de uma maneira extremamente desperdiçadora.


Para alcançar resíduos zero, as empresas de moda precisam repensar radicalmente suas práticas de design e fabricação. A produção convencional de roupas envolve o corte de tecidos em formas específicas, o que frequentemente resulta em pedaços “inutilizáveis” que são descartados. No entanto, com um planejamento cuidadoso e criativo, é possível projetar roupas de maneira que nenhuma parte do tecido seja desperdiçada.

Um exemplo dessa abordagem é a técnica de design de padrão zero waste, na qual os padrões das peças de vestuário são dispostos de tal forma que ocupem todo o tecido, eliminando assim o desperdício. As peças são arranjadas como um quebra-cabeça, aproveitando cada pedaço de tecido.

Outro aspecto do resíduo zero na moda é o uso de todos os subprodutos da fabricação de roupas. Por exemplo, os retalhos de tecido podem ser reciclados e transformados em novos fios, ou utilizados para criar acessórios ou embalagens para os produtos.

Além disso, algumas empresas de moda estão adotando uma abordagem de ciclo fechado, onde as roupas no final de sua vida útil são recolhidas, recicladas e transformadas em novos produtos. Isso não só reduz a quantidade de resíduos, mas também diminui a necessidade de novos recursos.

Adotar práticas de resíduos zero é benéfico não apenas para o meio ambiente, mas também para as empresas. Isso pode ajudar a economizar recursos, melhorar a eficiência e fortalecer a imagem da marca entre os consumidores conscientes do meio ambiente.

Como disse a designer de moda pioneira no conceito de zero waste, Holly McQuillan, “Zero waste não é apenas sobre o que você ganha – um produto sem desperdício – é sobre o que você aprende no processo”. Portanto, o movimento rumo à moda de resíduos zero é um compromisso com uma aprendizagem contínua e uma busca constante pela inovação.

2. Moda Circular da Reutilização: Upcycling

O upcycling, também conhecido como reutilização criativa, é uma estratégia de design sustentável que transforma resíduos ou produtos inúteis em novos materiais ou produtos de melhor qualidade e valor ambiental. Na moda, essa prática está ganhando popularidade como uma maneira de abordar os problemas de desperdício e sustentabilidade.

Diferentemente do reciclagem, que geralmente degrada a qualidade dos materiais, o upcycling preserva ou até melhora a qualidade dos materiais utilizados. Isso significa que o upcycling pode transformar uma peça de vestuário desgastada ou fora de moda em algo novo e desejável.


Na indústria da moda, o upcycling pode ser aplicado de várias maneiras. Uma prática comum é desmontar peças de vestuário antigas e reutilizar o tecido para criar algo completamente novo. Isso pode envolver a combinação de diferentes peças ou a adição de novos elementos para criar um design original.

Outra abordagem é reutilizar materiais de indústrias não relacionadas. Por exemplo, alguns designers de moda estão transformando materiais descartados, como paraquedas usados, banners publicitários, ou pneus de bicicleta, em peças de vestuário e acessórios.



O upcycling não apenas ajuda a reduzir o desperdício e a demanda por novos materiais, mas também oferece uma oportunidade para os designers de moda serem verdadeiramente criativos. Além disso, cada peça upcycled é única, o que pode ser um atrativo para os consumidores que buscam itens exclusivos.

Um ótimo exemplo de sucesso no upcycling é a marca de luxo Stella McCartney, que tem uma linha dedicada a peças criadas a partir de materiais reciclados e resíduos de produção.

Como citou a designer de moda Orsola de Castro, fundadora do movimento global “Fashion Revolution”: “Upcycling é a arte do futuro”. Assim, o upcycling na moda é um passo significativo em direção a uma indústria mais sustentável e responsável.

3. Aluguel e Revenda de Roupas

A forma como consumimos moda está mudando. Tradicionalmente, o modelo predominante na indústria da moda era baseado em comprar roupas novas, usá-las até que não as quiséssemos mais, e então descartá-las. Agora, novos modelos de negócios estão surgindo para desafiar essa mentalidade de “usar e descartar”, com o aluguel e a revenda de roupas se tornando cada vez mais populares.

Aluguel de Roupas

O aluguel de roupas permite que os consumidores usem roupas da moda sem a necessidade de comprá-las. Isso é particularmente útil para peças de roupa que tendem a ser usadas apenas uma vez ou raramente, como roupas de festa ou de casamento. Além disso, o aluguel de roupas pode ser uma maneira acessível de experimentar peças de designer de alta qualidade que, de outra forma, seriam inacessíveis para muitos consumidores.

Empresas como Rent the Runway, nos Estados Unidos, e Dress & Go, no Brasil, são pioneiras no aluguel de roupas. Elas oferecem aos consumidores a opção de alugar roupas por um período de tempo específico, geralmente por uma fração do preço de varejo.

Revenda de Roupas

A revenda de roupas, também conhecida como mercado de segunda mão, envolve a venda de roupas usadas. Isso não apenas prolonga a vida útil das roupas, mas também oferece aos consumidores a oportunidade de comprar roupas a preços mais acessíveis.

Plataformas online como Enjoei e OLX facilitaram a revenda de roupas, tornando-a mais acessível e atraente para os consumidores. Além disso, algumas marcas de moda estão entrando no mercado de segunda mão, oferecendo programas de troca e revenda para seus produtos.

Case de Sucesso: Enjoei

Em um cenário onde a sustentabilidade e o consumo consciente são cada vez mais valorizados, a Enjoei se destaca como um case de sucesso na indústria da moda. Fundada no Brasil em 2009, a empresa se tornou uma das plataformas de venda e compra de itens usados mais populares do país, especialmente no segmento de moda.


Modelo de Negócio

O modelo de negócio do Enjoei é simples e eficiente. Ele oferece uma plataforma online onde qualquer pessoa pode vender seus itens usados, e outras pessoas podem comprar esses itens. A empresa ganha uma porcentagem sobre as vendas realizadas através de sua plataforma.

A Enjoei se beneficia das tendências do consumo consciente e da economia circular. Ao promover a reutilização de itens de moda, a empresa ajuda a reduzir o desperdício e a prolongar a vida útil das roupas. Isso contribui para um modelo de consumo mais sustentável e alinhado com os princípios de ESG.

Crescimento e Sucesso

A Enjoei experimentou um crescimento significativo desde a sua fundação. Em 2020, a empresa realizou seu IPO (Oferta Pública Inicial) na B3, a bolsa de valores brasileira, demonstrando seu sucesso e sua sólida posição no mercado.

O sucesso da Enjoei se deve em grande parte à sua capacidade de entender e atender às necessidades e desejos dos consumidores. A empresa se destaca pela sua plataforma fácil de usar, pela sua abordagem de marketing descolada e divertida e pelo seu compromisso com a sustentabilidade.

Além disso, a Enjoei se beneficia da crescente preferência dos consumidores pela compra de produtos usados. Segundo a ThredUp, uma empresa similar à Enjoei no mercado americano, espera-se que o mercado de moda de segunda mão cresça 11 vezes mais rápido do que o varejo de moda tradicional na próxima década.

4. Materiais Sustentáveis

A escolha dos materiais é um componente crítico na criação de uma indústria da moda mais sustentável. Materiais tradicionalmente usados na moda, como algodão convencional e poliéster, têm um impacto ambiental significativo, desde o uso intensivo de água e pesticidas até a poluição por microplásticos. No entanto, uma nova geração de materiais sustentáveis está surgindo para oferecer alternativas mais ecológicas.

Algodão Orgânico

O algodão orgânico é cultivado sem o uso de pesticidas ou fertilizantes sintéticos, o que o torna muito menos prejudicial para o meio ambiente do que o algodão convencional. Além disso, o cultivo orgânico pode melhorar a saúde do solo e a biodiversidade local.

Fibras Regeneradas

As fibras regeneradas, como o lyocell e o modal, são feitas a partir de celulose, uma substância natural encontrada nas plantas. Estes materiais são biodegradáveis e geralmente requerem menos água e energia para serem produzidos do que as fibras sintéticas tradicionais. Marcas como a Eileen Fisher e a Allbirds utilizam estas fibras em suas peças.

Materiais Reciclados

Materiais reciclados, como poliéster reciclado ou algodão reciclado, partir de resíduos pós-consumo ou pós-industriais. Isso ajuda a reduzir a quantidade de resíduos que acabam em aterros sanitários e diminui a demanda por novos materiais. Uma empresa que utiliza este tipo de material é a Patagonia, conhecida por suas jaquetas feitas de poliéster reciclado.

Materiais Alternativos

Além disso, estão sendo explorados materiais inovadores e alternativos. Por exemplo, o “couro” feito de cogumelos, kelp ou frutas é uma alternativa sustentável ao couro animal. Da mesma forma, o “seda” feita de proteínas de levedura ou de casulos de bicho-da-seda descartados é uma opção mais ecológica à seda tradicional.


Couro feito de cogumelo


Vale ressaltar que não existe um material “perfeitamente sustentável”. Cada material tem suas vantagens e desvantagens, e é importante considerar todo o ciclo de vida do material – desde a produção até o descarte. No entanto, a utilização de materiais mais sustentáveis é um passo importante para reduzir o impacto ambiental da indústria da moda.

5. Rastreabilidade e Transparência

Em um mundo onde os consumidores estão cada vez mais conscientes e preocupados com a origem dos produtos que compram, a rastreabilidade e a transparência se tornaram imperativas para as marcas de moda. Saber de onde vêm os materiais, como as peças são produzidas e por quem são questões que os consumidores estão fazendo e que as empresas de moda precisam responder.

Rastreabilidade

Rastreabilidade refere-se à capacidade de rastrear o percurso de um produto ao longo de toda a sua cadeia de suprimentos. Na moda, isso significa saber de onde vêm as matérias-primas, onde e como foram processadas, onde a peça foi confeccionada, entre outros.

A rastreabilidade não é apenas importante para garantir a sustentabilidade, mas também para garantir práticas éticas de trabalho. Com uma cadeia de suprimentos rastreável, as marcas podem garantir que seus produtos não estão envolvidos em exploração trabalhista, trabalho infantil ou outras práticas inaceitáveis.

Transparência

Transparência, por outro lado, é sobre compartilhar essas informações com o público. É sobre ser aberto e honesto sobre as práticas e políticas da empresa, incluindo as condições de trabalho, os impactos ambientais e a proveniência dos materiais.

A transparência ajuda a construir confiança com os consumidores e permite que eles tomem decisões de compra mais informadas. Isso é particularmente importante na moda, uma indústria que tem sido marcada por escândalos envolvendo condições de trabalho precárias e práticas ambientais destrutivas.

Para promover a transparência, algumas marcas de moda estão começando a compartilhar mais informações sobre suas cadeias de suprimentos e a adotar padrões de certificação de terceiros. Por exemplo, a Everlane, uma marca de moda americana, adotou uma política de “Transparência Radical”, fornecendo detalhes detalhados sobre o custo e a origem de cada produto.


A transparência também está sendo impulsionada por novas tecnologias, como a blockchain, que pode fornecer um registro imutável de todas as etapas da cadeia de suprimentos de um produto.

6. Provadores Virtuais

A tecnologia está mudando a maneira como interagimos com a moda, e os provadores virtuais são um exemplo disso. Eles são uma inovação tecnológica que permite aos consumidores experimentar roupas virtualmente antes de comprá-las. Com a ascensão do comércio eletrônico e a necessidade de práticas mais sustentáveis na moda, essa tecnologia está se tornando cada vez mais relevante.

Como funcionam os provadores virtuais?

Os provadores virtuais utilizam a realidade aumentada (RA) para superpor peças de roupa digitais sobre a imagem do usuário, permitindo que eles “experimentem” as roupas virtualmente. Isso pode ser feito através de uma webcam ou câmera de smartphone, utilizando aplicativos móveis ou websites de marcas de moda.


Essa tecnologia também pode incorporar análise de corpo e rosto para proporcionar uma experiência mais precisa e personalizada. Isso pode incluir a análise de medidas, a simulação do caimento da peça no corpo do usuário e até mesmo a sugestão de tamanhos ou estilos baseados nas preferências do usuário.

Benefícios dos provadores virtuais

Os provadores virtuais têm vários benefícios, tanto para consumidores quanto para marcas. Para os consumidores, eles oferecem uma maneira conveniente de experimentar roupas sem sair de casa, o que pode ser especialmente útil em tempos de restrições sociais devido à COVID-19. Além disso, eles podem ajudar a reduzir a incerteza sobre o tamanho e o ajuste, que é uma das principais preocupações ao comprar roupas online.

Para as marcas, os provadores virtuais podem ajudar a aumentar a conversão de vendas e a reduzir as devoluções – um problema significativo no comércio eletrônico de moda, que gera desperdício e custos logísticos. Eles também oferecem uma oportunidade para criar experiências de compras mais envolventes e diferenciadas.

A adoção de provadores virtuais também está alinhada com a tendência de moda circular. Ao reduzir a necessidade de produzir amostras físicas e minimizar as devoluções, os provadores virtuais podem contribuir para reduzir o impacto ambiental da indústria da moda.

Um exemplo de sucesso nessa área é a ASOS, uma varejista de moda online que implementou um recurso de “provador virtual” em seu aplicativo, permitindo que os usuários visualizem como os itens se pareceriam em diferentes tipos de corpo.

ESG: As Profissões do Futuro em Vestuários

Com a crescente conscientização sobre a sustentabilidade e a responsabilidade social corporativa, a indústria da moda está passando por uma transformação significativa. As empresas estão cada vez mais adotando princípios de ESG (Environmental, Social and Governance ou Ambiental, Social e Governança), criando novas oportunidades de carreira no campo dos vestuários.

Profissionais de Sustentabilidade em Moda

Esses profissionais trabalham para integrar a sustentabilidade em todas as áreas de uma empresa de moda, desde o design e a produção até o marketing e as vendas. Isso pode envolver a implementação de práticas de produção mais ecológicas, o desenvolvimento de produtos com materiais sustentáveis ou a promoção de uma cultura de sustentabilidade entre os funcionários e os consumidores.

Especialistas em Rastreabilidade da Cadeia de Suprimentos

A rastreabilidade é um componente essencial da moda sustentável, e profissionais com habilidades nesta área estão em alta demanda. Eles trabalham para rastrear a origem dos materiais e garantir que as práticas éticas e sustentáveis sejam seguidas em todas as etapas da cadeia de suprimentos.

Designers de Moda Circular

Os designers de moda circular focam na criação de peças que são feitas para durar e que podem ser recicladas ou compostas no final de sua vida útil. Isso requer um profundo conhecimento de materiais sustentáveis e técnicas de design que minimizem o desperdício.

Especialistas em Tecnologia da Moda

A tecnologia está desempenhando um papel cada vez mais importante na moda, desde o comércio eletrônico e a análise de dados até a realidade aumentada e a impressão 3D. Profissionais com habilidades em tecnologia da moda podem ajudar a criar soluções inovadoras que tornem a indústria mais sustentável e centrada no cliente.

Essas são apenas algumas das carreiras emergentes no campo da moda ESG. À medida que a indústria continua a evoluir em direção a práticas mais sustentáveis e éticas, é provável surgirem ainda mais oportunidades.

Conforme afirmou a especialista em moda sustentável, Clare Press,

“A moda é uma indústria em constante mudança. Para sobreviver, ela precisa se adaptar – e a sustentabilidade é a próxima grande fronteira”.

  • A moda é a segunda indústria mais poluente do mundo, atrás apenas do petróleo (Fonte: ONU, 2021).

  • Cerca de 85% de todas as roupas produzidas vão para aterros sanitários a cada ano (Fonte: Council for Textile Recycling, 2021).

  • A demanda por algodão orgânico aumentou em mais de 56% nos últimos cinco anos (Fonte: Textile Exchange, 2022).

  • A indústria de aluguel de roupas está projetada para atingir $1,96 bilhões até 2023 (Fonte: Global Fashion Agenda, 2021).

  • 75% dos consumidores veem a transparência na cadeia de fornecimento como um fator importante na decisão de compra (Fonte: Fashion Revolution, 2022).

Conclusão

A moda circular representa uma mudança radical na forma como pensamos e consumimos moda. Essas cinco tendências – resíduos zero, upcycling, aluguel e revenda de roupas, materiais sustentáveis, e rastreabilidade e transparência – são apenas o começo. Com a evolução da tecnologia e a crescente conscientização dos consumidores, podemos esperar ver muitas outras inovações nessa área. Afinal, a moda deve ser uma força para o bem, não apenas uma fonte de estilo, mas também uma maneira de proteger e preservar o nosso planeta.

Perguntas Frequentes

  1. O que é moda circular? A moda circular é um novo modelo de produção e consumo que busca minimizar o desperdício e a poluição, maximizar a reutilização dos produtos e regenerar os recursos naturais.

  2. O que é upcycling na moda? Upcycling na moda envolve a transformação de materiais antigos ou não utilizados em novos produtos de valor.

  3. Por que a rastreabilidade e a transparência são importantes na moda circular? Eles permitem aos consumidores tomar decisões de compra mais informadas e conscientes, promovendo práticas de produção mais éticas e sustentáveis.

  4. Quais são alguns exemplos de materiais sustentáveis na moda? Alguns exemplos incluem algodão orgânico, lã regenerada, fibra de bambu, e muitos outros.

  5. O que posso fazer como consumidor para apoiar a moda circular? Você pode comprar menos e escolher melhor, optar por roupas de materiais sustentáveis, apoiar marcas que praticam a moda circular, e considerar o aluguel ou a compra de roupas usadas.

Esperamos que tenha gostado do nosso post!

Conecte-se conosco no Instagram e no LinkedIn para ficar por dentro de todas as nossas atualizações e conteúdos. Não se esqueça de seguir a gente!

Aqui estão nossos links: @fabricadecriatividade no Instagram e Fábrica de Criatividade no LinkedIn.

Você gostaria de se tornar um #Fabrilover e desfrutar de várias vantagens e prêmios? Participe do nosso programa de indicação! Recomende a Fábrica de Criatividade para seus amigos e ganhe benefícios exclusivos.

Quer descobrir o nível de inovação da sua empresa? Temos a solução! Oferecemos um teste de inovação gratuito para avaliar a maturidade de inovação da sua empresa.

Gostou do teste e quer entender melhor como podemos ajudar a sua empresa a se tornar mais inovadora? Agende uma conversa com um de nossos especialistas.


Fonte: Fabrica De Criatividade

0 visualização0 comentário
bottom of page